sábado, 5 de julio de 2008

Herança fatídica

Na manhã seguinte, Carolina despertou ao lado do seu pai. Queria ter certeza que ele se encontrava bem. Passou a mão sobre a sua testa e verificou que tinha um pouco de febre. Desceu para a cozinha e encontrou D. Amélia, também já levantada.
- Vovó, é tão cedo ainda. Já está de pé? – Disse ela, notando que sua avó não estava com bom aspecto.
- Para dizer a verdade, eu não consiguia dormir minha querida, mas não se preocupe. Eu estou bem. Tenho lembrado do seu avô e tenho saudades. Ele sabia lidar com Clara melhor do que eu. Sinto-me impotente.
- Não fique assim vovó. Ela no fundo não é má pessoa. Receio saber que por vezes eu também não lhe facilito a vida. – Disse Carolina, tentando minimizar a dor de D. Amélia.
- Obrigada, minha linda. Tu és uma boa menina, sim senhora. Tivemos sorte em ter a ti na família. Desde pequenina, foste um encanto para nós. Ouve, quero te falar uma coisa...
- Tudo o que tem acontecido é fruto de um acumulo de caprichos de seu avó. Era um bom homem, mas tinha o triste defeito de manipular a vida das pessoas que vinham até ele para pedir ajuda financeira. E por este motivo, até utilizou a nossa própria filha em uma das suas idéias infelizes. Tu serás no futuro a herdeira e responsável pela fortuna da família. - Quer Clara queira ou não!. Seu avó, antes de morrer deixou todos os bens em teu nome, no qual só poderás manipular quando completares a maior idade. Mas há uma parágrafo que ele diz, - Continuou D. Amélia, - que só terás direito a alguma coisa, caso te cases com o filho de Macêdo Perez. Caso contrário, Clara herdará tudo e Fernando não terá direito a nada.
Carolina não queria acreditar no que estava ouvindo, disse-me ela. Foi como se um tornado tivesse dentro da sua cabeça.
- Mas quem é Macêdo Perez? – Vovó, por favor... Não estou entendendo.
- Minha querida, já são tantos os erros nesta família, que eu já nem sei por onde começar para que saibas realmente a sua verdadeira história... – Disse D. Amélia, olhando para o chão com melancolia e vergonha.
- Vovó, temos muito o que conversar... Quero saber qual é a minha história?... Se é por não ser filha de minha mãe, ou melhor, de Clara... Eu já sei!. E tenho muita pena que a senhora não seja a minha avó de verdade. Mas não se preocupe, pois não saberei de outra avó que possa amar mais que a ti.
- Oh, Carolina... – Falou D. Amélia emocionada, abraçando-a. Quem me dera vida e saúde para te ver casar e ter os seus filhos...
- Não creio que me vá casar com o filho deste tal Macêdo vovó... Não creio. – Falou Carolina, delicadamente para D. Amélia. – Sinceramente, preferia morrer pobre do que casar-me sem ser por amor.
- Oxalá as coisas pudessem ser diferentes, Carolina.
- Vovó, sinto muito, mas agora só há uma coisa que me preocupa... O meu pai que está lá em cima com febre. Desci para vir buscar um copo d’água e um pano para molhar e colocar na sua testa. - Disse Carolina, tentando desviar o assunto que tanto lhe incomodava.
- Meu Deus! – Exclamou, Amélia. Porque não me disse logo? Seu pai merece todos os cuidados neste momento. Falou e acompanhou Carolina com um trapo limpo e um copo com água.
Fernando estava apenas febril e não se sentia nada mal. Apenas se encontrava cansado e ansioso por voltar para casa e ter forças para procurar finalmente seu verdadeiro amor. Acabando de uma vez por todas com tanta infelicidade.
Depois do coma, Fernando despertou como se tivesse passado uma experiência de vida e morte. Não lembrava de nada em concreto, mas tinha a sensação de que estava andando no caminho errado. Assim que abriu os olhos no Hospital e olhou as brancas paredes à sua volta, sentiu uma angústia tão grande que invadiu a sua alma de tristeza, mas ao mesmo tempo esta tristeza tinha vindo acompanhada de coragem. Uma coragem que segundo as palavras de Carolina, enquanto contava a mim sua desafortunada história, levou também à sua própria vida a modificar-se.

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Joice, sempre fico na expectativa que chegue os novos capitulos, se existe erros não os tenho percebido.

beijos

Magda

JOICE WORM dijo...

Obrigada pelo coment Magda.
Em breve vou contar mais uns segredos bombásticos desta família.
A nossa Carolina tem muito para contar...
Beijos grandes para ti!